UVA promove reflexões no dia do profissional de Educação Física

Egressos compartilharam com os futuros colegas experiências do mercado de trabalho e do cotidiano profissional

Uma rica troca de experiências deu o tom à aula inaugural do semestre letivo do curso de Educação Física da Universidade Veiga de Almeida (UVA), em Cabo Frio. Marcada propositadamente no dia 1º de setembro, data em que é comemorado o Dia do Profissional de Educação Física, o evento tem como objetivo promover uma reflexão sobre o fazer profissional, que completa 18 anos de regulamentação (Lei Federal nº 9696/98).

O professor Alexandre Motta, coordenador do curso, abriu os trabalhos na companhia dos professores Ricardo Fernandes e Murilo Lamego, ambos egressos da casa que deram continuidade à formação e atualmente contribuem com a formação dos universitários da UVA. Ricardo, velejador desde a infância e instrutor da modalidade, buscou a graduação já maduro para aperfeiçoar a prática profissional. Murilo, entrou na faculdade aos 18 anos, após ser incentivado por um primo, contrariando os desejos da família, que tinha planos para que assumisse os negócios na área de análises clínicas. Os dois professores ressaltam que são felizes e realizados na área de docência acadêmica. “Aqui é onde eu me sinto em casa”, diz Murilo, ressaltando a importância do compromisso de cada aluno com a graduação, aproveitando todas as oportunidades que a Universidade e o corpo docente oferecem.

Pedro Henrique Sousa Cavaleiro, assim como o professor Ricardo, é da primeira turma formada pela Universidade. Estudante de Economia numa faculdade pública da capital, conta que veio passar férias em Cabo Frio, há mais de uma década, e acabou ficando. Nessa época, se encontrou na área de Educação Física. Foi dono de academia por oito anos até assumir a função de professor no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social). Vivenciando uma gama de problemas sociais que fazem parte do contexto dos seus alunos, diz que o profissional deve ter sensibilidade para compreender as necessidades humanas, senão há fracasso profissional. “Formamos seres humanos através do esporte e do movimento. Essa visão humana é o que precisamos praticar”, ressalta, lembrando que o esporte traz felicidade e o hábito do exercício deve ser formado para a vida inteira.

Vinícius Pessanha, preparador de atletas, personal e empresário no ramo de suplementos, também compartilhou um pouco da sua trajetória. Contou que quando decidiu fazer Educação Física deixou a empresa familiar para trabalhar como garçom, em Búzios, para poder bancar os estudos. “Muitas vezes saia às duas da madrugada do trabalho e no início da manhã já tinha aula. Quando era época de prova, não sabia se dormia ou se estudava no ônibus”, relata, acrescentando que foram quatro natais e réveillons longe da família, servindo mesas, até concluir a formação. “É preciso levar a sério a faculdade e acreditar no potencial pessoal”, incentiva. Para ele, é possível encontrar espaço no mercado de trabalho, especialmente se estiver atento às oportunidades. Lembrou, ainda, que postura e seriedade no trabalho fazem a diferença. “Nosso poder de influenciar é muito grande”, ressalta.

A Universidade recebeu, ainda, a presença da vice-presidente da Associação dos Profissionais de Educação Física da Região dos Lagos (APEF Lagos), professora Marta de São Paulo, que também é presidente do Conselho Regional de Educação Física da 1ª Região, CREF 1 Mulher. A programação também ocorrerá no turno da noite, contemplando todos os estudantes do curso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *